Normas para Publicação na Arrudea

ARRUDEA

Revista com artigos científicos editada pelo Jardim Botânico do Recife, a Arrudea teve seu primeiro número publicado em 2015. O volume traz cinco artigos científicos. O botânico do JBR Jefferson Maciel é o editor-chefe. O nome latinizado é uma homenagem ao frei carmelita Manuel Arruda Câmara (1752-1810).  Nascido na Paraíba, ele estudou em Coimbra e viveu em Pernambuco. É apontado como um dos grandes botânicos brasileiros do final do século XVIII.

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA ARRUDEA

Foco e Escopo

A revista Arrudea é uma publicação semestral editada pelo Jardim Botânico do Recife-JBR e tem como missão publicar artigos que divulguem a produção de conhecimento do JBR. Mas, além disso, Arrudea estimula a comunidade científica a submeter artigos científicos originais, de revisão e comunicações breves na forma de notas científicas ou técnicas em atividades relacionadas aos Jardins Botânicos, classificadas nas áreas de Biodiversidade, Biotecnologia Vegetal e Educação Ambiental. Além dessas áreas, artigos que abordem questões ambientais relevantes para o desenvolvimento sustentável do Recife serão considerados para publicação. 

A revista Arrudea aceita manuscritos preparados em Português. Para manuscritos em Inglês ou Espanhol o autor deverá entrar em contato prévio com o Editor Chefe. 

A revista Arrudea aceitará o recebimento dos manuscritos desde que: 

1. todos os autores do manuscrito tenham aprovado sua submissão; 

2. os resultados ou idéias apresentados no manuscrito sejam originais; 

3. o manuscrito enviado não tenha sido submetido para outra Revista ao mesmo tempo; 

4. o manuscrito tenha sido preparado de acordo com a última versão das Normas para Publicação.

Os artigos publicados na revista Arrudea só poderão ser reproduzidos em outra revista após a autorização formal do Editor-chefe.

Os autores são os únicos responsáveis pelo conteúdo científico, gramatical e ortográfico de qualquer artigo publicado na revista Arrudea.

Processo de Avaliação por Pares

Os manuscritos submetidos à Arrudea são avaliados pelo Editor-chefe que define a área específica. No segundo passo, o manuscrito é enviado para o respectivo Editor de Área. Por fim, o Editor de Área envia o manuscrito para dois consultores ad hoc, os quais fazem a revisão técnica e estilística do conteúdo e analisam sua validade científica. Baseado no parecer dos consultores, o Editor de Área decide pela publicação ou não informando ao Editor-chefe sua decisão. Em caso positivo, o Editor-chefe envia para os autores os comentários e sugestões feitos pelos consultores ad hoc para aprimoramento do texto. Finalizada a etapa editorial, será iniciada a editoração do texto e finalmente o artigo só será efetivamente publicado após a consulta da prova eletrônica feita pelos autores, com prazo máximo de cinco dias úteis.

Periodicidade: semestral

Política de Acesso Livre: a revista Arrudea é de acesso livre

Diretrizes para Autores

Envio dos manuscritos

Clique aqui para submissão de manuscritos eletronicamente. 

Forma de Publicação

Os manuscritos submetidos à Arrudea devem ter no máximo 20 laudas e os que ultrapassarem esse limite passarão pela aprovação do Corpo Editorial antes de ser iniciado o processo editorial. O aceite dos trabalhos depende da decisão do Corpo Editorial após passar pelo processo de avaliação por pares.

A revista Arrudea publicará Artigos Científicos e Documentos Técnicos. Os autores devem classificar sua publicação de Artigos Científicos nas seguintes categorias: 

1. Artigos Originais: artigos de pesquisa original e inédita estruturados em: Introdução, Materiais e Métodos, Resultados, Discussão e Referências Bibliográficas.

2. Artigos de Revisão: artigo de formato livre que apresente a revisão de algum tema relevante para as áreas da revista e com uma conclusão inovadora que represente algum avanço teórico. Nesta categoria também poderão ser submetidos artigos de divulgação de tema relevante para Jardins Botânicos. Os artigos dessa categoria serão prioritariamente convidados pelo corpo editorial, mas iniciativas espontâneas também serão aceitas para o processo de avaliação após consideração do corpo editorial.

3. Comunicações Breves: nesta categoria se enquadram publicações curtas de até 10 laudas, mas que apresentem de forma breve e objetiva a divulgação conclusiva de alguma pesquisa original, a descrição de protocolos de germinação ou produção de mudas, ou alguma técnica e metodologia nova.

Artigos científicos

Os manuscritos submetidos deverão ser enviados em arquivo de word (.doc ou .docx) formatados em A4, com margens de 2,5 cm e alinhamento justificado, fonte Times New Roman, corpo 12, em espaço duplo. Todas as páginas, exceto a do título, devem ser numeradas, consecutivamente, no canto superior direito. Não serão considerados manuscritos escritos inteiramente em maiúsculas. Palavras em latim e nomes científicos devem estar em itálico. Palavras em negrito deverão ser usadas apenas no título e aberturas das principais seções (Introdução, Materiais e Métodos, Resultados, Discussão, Agradecimentos e Referências Bibliográficas)

Utilizar nomes científicos completos (gênero, espécie e autor) na primeira menção, abreviando o nome genérico subsequentemente, exceto onde referência a outros gêneros cause confusão. Os nomes dos autores devem estar de acordo com o site do IPNI (www.ipni.org).

Primeira página – A primeira página não deve ser numerada e terá que conter o título do trabalho (centralizado, escrito em negrito com maiúscula apenas na primeira palavra e onde as palavras exigirem maiúscula conforme norma formal da língua portuguesa), o nome dos autores (abaixo do título, centralizado, em maiúscula e minúscula), o endereço e instituição dos autores (instituição, lotação, rua e número, bairro, CEP ou Postal Code, cidade, sigla do estado e país), email do autor para correspondência e título abreviado. Na primeira página deverá vir a categoria da publicação (Artigos Originais, Artigos de Revisão ou Comunicação Breve)  

Segunda página – deve conter Resumo e Abstract com até 1000 caracteres, seguido dos títulos do trabalho entre parênteses nas respectivas línguas  e palavras-chave (até cinco, em português inglês, em ordem alfabética). 

Texto – Iniciar em nova página, de acordo com seqüência apresentada a seguir: Introdução, Material e Métodos, Resultados, Discussão, Agradecimentos e Referências. Recomenda-se manter as seções Resultados e Discussão separadas. Os títulos (Introdução, Material e Métodos etc.) e subtítulos deverão ser apresentados em negrito.

Não citar trabalhos apresentados em Congressos, Encontros e Simpósios. Citações de teses e dissertações só devem ser incluídas se estritamente necessário. As citações dentro do texto devem aparecer da seguinte forma:

1. Um autor: Grinell (1924), (Grinell 1917), Grinell (1917, 1924), (Grinell 1917, 1924) ou (Granville 1982, Ab’Sáber 2003)

2. Dois autores: Smith & Downs (1979), (Leme & Siqueira-Filho 2006), (Smith & Downs 1979, Leme & Siqueira-Filho 2006)   

3. Mais de dois autores: Céréghino et al. (2011), (Carrias et al. 2012), (Céréghino et al. 2011, Carrias et al. 2012, Leroy et al. 2012)

Nos trabalhos taxonômicos o material examinado deverá vir na seguinte ordem: 

Material Examinado: BRASIL. Pernambuco: Paudalho, Mata do CMINIC, 06.X.2011, fl. e fr., J.R. Maciel et al. 1505 (UFP, JPB). 

Os nomes dos países e estados devem ser citado por extenso. Em floras regionais o nome do país deverá aparecer apenas no primeiro material examinado listado para uma espécie. No caso de floras locais deverão ser omitidos os nomes do país e estado nos materiais examinados. As siglas dos herbários devem ser citadas conforme o Index Herbariorum.

Para abreviações e unidades os autores devem usar as métricas do Systeme Internacional d´Unités (SI) e símbolos químicos amplamente aceitos. Os separadores de casas decimais devem ser a vírgula nos artigos. As unidades devem estar separadas dos valores por um espaço (exceto em porcentagens, graus, minutos e segundos, ex.: 5,2 cm; 30%). Siglas e abreviações podem ser utilizadas, devendo ser precedidas de seu significado por extenso na primeira menção.

Ilustrações e tabelas – Mapas, desenhos, gráficos e fotografias devem ser denominados como Figuras. As tabelas e figuras devem ser numeradas em árabico na sequência em que aparecem no texto, o mesmo serve para as tabelas. 

As tabelas devem figurar no final do texto e serem formatadas em Word. A apresentação da tabela deve ser o mais simples possível sem configurações especiais, sem linhas separando colunas e linhas, exceto pela linhas separando o nome das colunas e a linha fechando a tabela.

As figuras não devem ser inseridas no arquivo do texto. Estas devem ser enviadas separadamente. Os arquivos das figuras devem ser nomeados da seguinte forma “FigX-nomedosautores.tiff”. Sempre que possível as figuras devem ser organizadas em pranchas com a rotulação em ordem alfabética e com letras minúsculas.

As legendas devem vir ao fim do texto e devem tornar as figuras suficientemente auto-explicativas.

As figuras e tabelas devem possuir 15 cm larg. x 19 cm comp. (altura máxima permitida). Os autores devem configurar suas figuras imaginando a possibilidade delas serem reduzidas para que caibam em uma coluna, ou seja, 7,2 cm larg. x 19 cm comp. Sendo assim, é recomendado não reduzir muito a fonte dos textos das tabelas e ter uma boa resolução e composição das figuras para não haver prejuízo de informação em uma possível redução.

As figuras devem ter resolução mínima de 300 dpi, nas medidas citadas acima, e devem ser enviadas em formato TIF. No entanto, para facilitar o trâmite dos arquivos recomenda-se que na primeira versão as imagens sejam enviadas em JPEG ou salvas em TIFF com compactação LZW. A figura em TIFF compactada pode ser usada na versão final do manuscrito. Figuras com resolução fraca serão recusadas e os autores terão que enviar uma nova figura com resolução adequada. Imagens coloridas serão aceitas, mas o corpo editorial poderá solicitar imagens em preto e branco.

Tabelas e figuras devem ser sempre citadas por extenso dentro do texto, seja no corpo da frase ou entre parênteses:

1. “A análise de componentes principais apresentou uma variância acumulada de 61,4 % nos dois primeiros eixos (Tabela 1).”

2. “A Figura 1 mostra a variação no primeiro eixo...”

Agradecimentos – na seção agradecimentos os autores terão liberdade para expressar seus agradecimentos a parceiros, órgãos financiadores, etc. No entanto, deverão aproveitar a seção para declarar ausência ou existência de conflito de interesses, declarar de forma objetiva e simplificada a participação de cada autor na construção da pesquisa que originou o artigo. Também aqui deverá ser mencionado se o artigo é parte de alguma tese e a qual programa de pós-graduação pertence o autor da tese.

Referências – todas as referências citadas no texto devem estar listadas e todas as referências listadas têm que estar citadas. A lista de referências deverá vir em ordem alfabética pelo sobrenome do autor. No caso de mesmos autores com mais de uma referência para o mesmo ano deverá ser acrescentada uma letra alfabética em minúsculo após o ano. O nome de períodicos e publicações não deverá ser abreviado, exceto em casos de trabalhos taxonômicos clássicos quando for necessário. A formatação das referências deverá ser como segue:

1. Artigo:

Broennimann, O.; Treier, U.A.; Müller-Schärer, H.; Thuiller, W.; Peterson, A.T. & Guisan, A. 2007. Evidence of climatic niche shift during biological invasion. Ecology Letters 10: 701–709.

2. Livro:

Ab’Sáber, A. 2003. Os domínios de natureza no Brasil. Ateliê Cultural, São Paulo. 160p.

3. Capítulo de livro:

Leme, E.M.C. and Siqueira-Filho, J.A. 2006. Taxonomia de bromélias dos fragmentos de Mata Atlântica de Pernambuco e Alagoas. In: Leme, E.M.C. & Siqueira-Filho, J.A. (Eds.). Fragmentos de Mata Atlântica do Nordeste - biodiversidade, conservação e suas bromélias. Andrea Jakobsson Estúdio, Rio de Janeiro. Pp. 191–381.

Documentos Técnicos

Os manuscritos submetidos à seção documentos técnicos deverão ser enviados em arquivo de word (.doc ou .docx) formatados em A4, com margens de 2,5 cm e alinhamento justificado, fonte Times New Roman, corpo 12, em espaço duplo. O manuscrito deverá ter no máximo 20 laudas redigidas e tem que ser conciso e objetivo, priorizando de fato as informações mais relevantes para relatar eventos, cursos, expedições, procedimentos técnicos, registros históricos e demais fatos que colaborem para a preservação da memória do Jardim Botânico do Recife.

Os documentos técnicos não devem seguir uma ordem formal de organização do texto. No entanto, a primeira página do manuscrito deverá seguir a mesma recomendação para os artigos científicos. O mesmo serve para a segunda página.

Configurações de tabelas e figuras também devem seguir as normas gerais para artigos científicos.

Conflitos de Interesse

Os autores devem declarar nos agradecimentos que o artigo não possui conflitos de interesse pessoais, científicos, comerciais, políticos ou econômicos. Em caso contrário, o conflito de interesse deverá ser manifesto claramente.

Declaração de Direito Autoral

Os autores concordam: (a) com a publicação exclusiva do artigo neste periódico; (b) em transferir automaticamente direitos de cópia e permissões à publicadora do periódico. Os autores assumem a responsabilidade intelectual e legal pelos resultados e pelas considerações apresentados.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

 

Para ver a edição nº1 da Arrudea, clique aqui